sexta-feira, 23 de setembro de 2016

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

POEMA


A meu Pai, que faria hoje tantos anos. 

volta   hoje
para que deite em teu ombro         a minha face
descanse das palavras indecisas

e restabeleça do agreste vento.
 
Inez Andrade Paes



quinta-feira, 8 de setembro de 2016




VIVÊNCIAS - Gúnass  - (Renato Zamith Carrilho)

VIVÊNCIAS, são subtis mãos que nos tocam e nos abraçam.
Dali daquele lugar onde o Mar ilumina as noites sem luar, onde os Djini nos beijam os pés nas travessias entre mangais, dali são os sons e as vozes de VIVÊNCIAS.
Pemba, Ibo - Moçambique 

Inez Andrade Paes
.
http://renatozamithcarrilho.com/  

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Detalhe


Chapim-real - Parus major



quando há pássaros coloridos
há sol
quando há pássaros menos coloridos
há sol
quando não há pássaros
há vento
e traz-nos o seu canto

Inez Andrade Paes

sexta-feira, 5 de agosto de 2016



uma mão chega do silêncio
acarinha             

e o olhar
do horizonte em fogo 

Inez Andrade Paes

segunda-feira, 20 de junho de 2016

 




                            A Pedro Casteleiro pela"A República dos Pássaros"  
           

quando os pássaros se escapam do meu sorriso
procuro-os e esquivo-me dobrando o olhar em riso
sabem que as plantas que guardo à superfície dos lagos
são para criar raízes e caules
transplanto-as para que cresçam árvores
que depois os pássaros irão usar antes da partida para sul

sei que sou precisa neste Norte gelado
as minhas mãos têm calos
porque os pássaros são francos amigos de asas
voam em cada bocado de céu
esteja claro ou a fímbria de luz desvanecendo-se

vem pois a casa é tua
a incandescência dos olhos é guia nocturno

Inez Andrade Paes
Válega, 11 de Março de 2015

sexta-feira, 3 de junho de 2016

quarta-feira, 18 de maio de 2016

OS LAMBÕES




os ursos levam cartas para ti
e de lânguidas amostras
trazem cascas de caracol na cabeça
onde se aninham e retiram

deitam-se de costas
de barriga para cima
e não pensam nas viscosas linhas
que deixaram para trás
e lhes mostram as fraldas que descaem

Inez Andrade Paes